O que é um “Eco-município 5.0”?

Um Eco-município em poucas palavras

Um Eco-município é um governo local – na maioria das vezes municipal – que adotou formalmente um conjunto de princípios sustentáveis ​​e se envolveu em uma abordagem sistêmica e participativa para implementá-los. Consideramos o nível local como o mais importante e o mais eficaz na transição para uma sociedade sustentável. Esta é a maneira mais prática de implementar rapidamente iniciativas concretas, sustentáveis ​​e participativas que beneficiem o meio ambiente, a economia e as pessoas do território.

Quando foi criado o conceito de “Eco-municipalidade 5.0”?

O primeiro Eco-município apareceu em 1983, quando a Övertorneå começou sua transição. O conceito era completamente novo, era necessário definir-lo. Por uma questão de coerência, em vez de inventar um novo nome à medida que nosso conceito de cidade sustentável mudou, foi simplesmente decidido adicionar um número ao nome Eco-município. Isto é para deixar claro, à primeira vista, que este conceito foi construído muito gradualmente ao longo de trinta anos, e que ele tem uma história. A versão atual, “5.0” foi definida após o projeto Sustainable Robertsfors no final dos anos 2000.

Os princípios que definem um Eco-município

Tornar-se um Eco-município significa adotar um conjunto de princípios. Abaixo estão algumas das palavras-chave que compõem esse quadro.

Vista sistêmica 

Um Eco-município 5.0 baseia-se numa perspectiva sistêmica, o que implica, em vez de tratar os problemas um a um, ter uma visão mais ampla e mais complexa da situação, a fim de compreender as ligações entre os elementos e resolva problemas na raiz. Esta perspectiva sistêmica visa evitar a resolução de um problema criando um novo, e assim encontrar soluções mais efetivas e sustentáveis.

Back-casting

O « forecasting », palavra ingles para « previsão », consiste em prever o futuro a partir de uma conjectura presente e resultados passados ​​e presentes. O « back-casting » – que poderia então ser traduzido por pós-visão – consiste em definir acima de tudo um objetivo específico que desejamos alcançar no futuro, projetando-se lá, depois olhando para o nosso presente para tentar entenda quais são as etapas a serem tomadas para nos levar a esse futuro ideal. Usamos esse método nos projetos em que nos comprometemos. A idéia é ser orientada e motivada pela visão do futuro que realmente queremos, e planejar e agir para torná-la real, em vez de apenas reagir à situação. A mudança só pode acontecer se decidimos assumir o controle do nosso futuro. Você pode encontrar uma descrição mais detalhada do back-casting na página The Natural Step Network.

Princípios de Sustentabilidade

No início da década de 1990, um sistema de 4 condições para a sustentabilidade foi estabelecido através de um processo de consenso entre centenas de pesquisadores principalmente nas ciências naturais. Este sistema foi posteriormente alargado a 8 Princípios de Sustentabilidade, divididos em 2 categorias: Sustentabilidade Ecológica e Sustentabilidade Social. Esses princípios foram adotados por todos os eco-municípios suecos e provaram sua eficácia para tornar um território mais sustentável, se eles são mantidos em mente ao tomar decisões.

Esses princípios não são regras a seguir literalmente. Estes são princípios orientadores que todos se adaptam ao seu ambiente na medida do possível. Estes são canais de transmissão entre os três círculos mostrados na imagem. Estes círculos são: Natureza (em verde), Sociedade (em laranja) e Humano ou Individual (em azul). Consideramos que os humanos têm uma certa relação com a Natureza, mas que inevitavelmente têm uma ligação também com a Sociedade em que vivem.

Eco-sustentabilidade

O objetivo dos Eco-municípios é estabelecer um equilíbrio para que a Natureza e as sociedades humanas cooperem. Isso inclui, por exemplo, a necessidade de gerenciar recursos e desperdiçar de uma maneira sustentável.

Em uma sociedade sustentável, a Natureza não está sujeita a um aumento sistemático em:

  • Concentração da substância extraída da crosta terrestre
  • Concentração da substância produzida pela empresa
  • Degradação por meios físicos

Sustentabilidade social

Mas um Eco-município 5.0 também visa o bem-estar dos indivíduos, ou a chamada sustentabilidade social. Por exemplo, existe a necessidade de ter relações sociais ou uma identidade reconhecida. Numa sociedade sustentável, não existem obstáculos estruturais para :

  • Integridade pessoal
  • Influência
  • Competência
  • Equidade
  • Significado

Deve-se notar que não existe um município que possa ser designado como um modelo perfeito de Eco-município 5.0 em todos os seus aspectos. Cada cidade tem seus pontos fortes e fracos. Mas, seguindo esses princípios, eles só podem se tornar mais sustentáveis

Democracia e Participação

Para que a transição para o Eco-município seja efetiva e sustentável, todos os atores da área local devem estar envolvidos. Não só isso cumpre os princípios da sustentabilidade social, mas também garante a vitalidade e a eficiência do processo. De fato, os projetos Eco-município que foram os mais bem-sucedidos são aqueles que conseguiram envolver a comunidade (cidadãos em particular, mas também empresas locais, associações, escolas, etc.) através de processos participativos e democráticos, como os « Círculos do Futuro » em Övertorneå (círculos de estudo criados em cada aldeia do município de Övertorneå em 1983, que então se moviam rapidamente para a ação em si).

Eco-municípios em todo o mundo

A lista (e o mapa) dos 110 eco-municípios suecos estão visíveis aqui (em sueco).

Uma lista e mapa dos 28 Eco-municípios de Wisconsin (EUA) pode ser visto aqui. Encontra mais informações sobre os eco-municípios americanos aqui.

Aqui, pode encontrar os eco-municípios e outras similares iniciativas no mundo.

Legenda :

  • Azul : os eco-municípios suecos membros da SEKOM.
  • Laranja : eco-municípios da Etiópia.
  • Amarelo : Resoluções municipais adotando os princípios dos eco-municípios
  • Verde : Projectos e iniciativas locais de eco-municípios nos Estados Unidos.